O poder da cultura do erro: porque é que os erros conduzem ao sucesso

by | Liderança, Vida ativa

Teile diesen Beitrag mit deinen Freunden

Na sociedade atual, os erros são muitas vezes vistos como um sinal de fraqueza e de falta de inteligência, embora na realidade sejam uma parte natural da existência humana. No mundo do trabalho, em particular, existe frequentemente a ideia de que os erros são um obstáculo à carreira. É por isso que os erros são muitas vezes escondidos ou ignorados, em vez de serem utilizados como uma oportunidade de aprendizagem. Mas, como diz o ditado: “Ainda não caiu nenhum mestre do céu”, “A prova leva à perfeição” e “Errar é humano”. Estas expressões idiomáticas não são populares por acaso e apontam para o significado mais profundo dos erros como uma oportunidade de aprendizagem. Felizmente, cada vez mais empresas estão a reconhecer a importância de uma cultura de erro positiva, sem a qual o progresso real e a inovação dificilmente seriam possíveis. Como fundador de uma empresa, é, portanto, aconselhável lidar abertamente com os erros e guiar-se pelos muitos provérbios, a fim de manter a agilidade e não perder nenhuma oportunidade de inovação. Neste artigo, ficará a saber exatamente como o pode conseguir e quais os requisitos a cumprir.

Definição: O que significa cultura do erro?

A cultura do erro é um termo das ciências sociais e económicas que descreve a forma como as sociedades, as culturas e os sistemas sociais lidam com os erros, os riscos de erro e as consequências dos erros. Especificamente, descreve a forma como uma organização lida com erros, falhas e problemas e as consequências daí resultantes. Existem dois tipos de culturas de erro: positivas e negativas. Numa cultura de erro negativa, os erros não são discutidos, os problemas não são resolvidos e a culpa é atribuída aos outros. Em contrapartida, uma cultura de erro positiva vê os erros como uma oportunidade para aprender e crescer.

Uma cultura de erro produtiva integra os aspectos aparentemente negativos dos erros na cultura da empresa e incentiva os funcionários a aprenderem com os seus erros. Esta cultura é essencial para a inovação e a criatividade numa organização. Além disso, permite críticas construtivas e feedback, que são essenciais para um bom trabalho de equipa.

A cultura do erro é diferente da gestão do erro, que se refere ao controlo orientado das actividades de tratamento dos erros e à introdução e aplicação de métodos específicos. A cultura do erro, por outro lado, refere-se à forma como uma organização lida com os erros, os riscos de erro e as consequências do erro.
Para estabelecer uma cultura de erro positiva, uma organização deve criar um ambiente em que os trabalhadores se sintam à vontade para cometer erros e aprender com eles. Isto requer confiança e uma comunicação aberta entre os trabalhadores e a direção. Os gestores de RH desempenham um papel importante na implementação de uma cultura de erro positiva, assegurando que os princípios acordados são respeitados e apoiando e aconselhando os trabalhadores e os gestores.

Cultura de erros explicada através de um exemplo

Imagine que está na cozinha e quer experimentar uma nova receita. Tem todos os ingredientes à sua frente, segue os passos do livro de culinária e está cheio de expetativa pelo delicioso resultado. Mas, oh não, algures no caminho entre “uma pitada de sal” e “uma pitada de pimenta”, adiciona-se acidentalmente uma colher de sal e um arco-íris inteiro de pimenta! A comida tem um sabor, bem, bastante aventureiro.

Nesse momento, pode ficar zangado, atirar a colher para um canto em sinal de frustração e nunca mais querer cozinhar. Ou então pode rir-se disso, levar as coisas com calma e pensar: “Esta receita é muito estranha, mas para a próxima será melhor!” É exatamente aqui que a cultura do erro entra em jogo.

A cultura do erro é como um chefe amigável e motivado que fica atrás de si e diz: “Não há problema, toda a gente comete erros! O que importa é que aprendamos com eles e façamos melhor da próxima vez”. Uma cultura de erro positiva encoraja-nos a ver os erros não como fracassos, mas como lições valiosas no nosso caminho para a melhoria.

E isto não significa apenas na cozinha, mas também no trabalho, na escola ou simplesmente na vida quotidiana. Quando cometemos um erro, quer se trate de um pequeno deslize num projeto ou de um mal-entendido com um amigo, é importante não desanimar. Em vez disso, devemos analisar o erro, compreender o que correu mal e desenvolver um plano para fazer melhor da próxima vez.

Uma boa cultura do erro torna-nos mais corajosos e criativos porque não temos de ter medo de cometer erros. Promove uma comunicação aberta em que nos podemos apoiar mutuamente e trocar ideias. Porque se nos permitirmos cometer erros e aprender com eles, melhoraremos cada vez mais e continuaremos a avançar.

O que é uma cultura de erro construtiva?

Cultura de erro construtiva
Tornar-se um empregador de sucesso com uma cultura de erro construtiva

Uma cultura de erro construtiva trata do reconhecimento dos erros, bem como da sua análise e otimização. Ao contrário de uma cultura de erro que sanciona os erros, uma cultura de erro construtiva aceita a ocorrência de erros e utiliza-os para um maior desenvolvimento. . Uma cultura de erro construtiva requer o envolvimento de todos os intervenientes e não se centra na pessoa que, em última análise, comete o erro. Existem muitas formas e métodos experimentados e testados para introduzir e estabelecer uma cultura de erro construtiva. Uma cultura de erro destrutiva impede os trabalhadores e os gestores de correrem riscos e de assumirem a responsabilidade pelas decisões. As empresas devem criar uma cultura de erro construtiva para promover a inovação e incentivar os trabalhadores a aprender com os erros. Os elementos de uma cultura de erro construtiva são a aceitação dos erros, a ausência de sanções e um processo que entende os erros como parte dos processos de aprendizagem e desenvolvimento.

A cultura do erro construtivo é explicada através de um exemplo

Imagine que está no grande recreio da vida, onde não há penalizações para os erros, apenas lições valiosas. É a cultura do erro construtivo! É como um sistema de apoio para o seu desenvolvimento pessoal e para a interação no trabalho ou na vida quotidiana.

Uma cultura de erro construtiva não consiste em esconder os erros ou ter vergonha deles. Pelo contrário, os erros são as estrelas do processo de aprendizagem! Percebe-se que são inevitáveis porque somos apenas humanos e não robots sem falhas. E isso é bom! Porque as sementes do crescimento e da inovação estão muitas vezes nestes pequenos erros.

Uma cultura de erro construtiva ajuda-nos a ver os erros não como obstáculos, mas como oportunidades. Se cometer um erro, não o veja como um fracasso, mas como um ponto de experiência no caminho para a melhoria. Assume-se o erro, olha-se para ele com atenção, analisa-se o que aconteceu e pensa-se como se pode fazer melhor da próxima vez. É como um exercício para a sua mente – cada repetição torna-o mais forte e mais inteligente.

É importante que não haja atribuição de culpas numa cultura de erro construtiva. Não se trata de apontar o dedo a alguém e dizer: “Fizeste asneira! Em vez disso, trata-se de um processo de aprendizagem colectiva em que todos contribuem para melhorar o panorama geral. O trabalho de equipa está no centro das atenções e todos contribuem com a sua experiência e conhecimentos para melhorar em conjunto.

O que é uma cultura de erro destrutiva?

Cultura de erro destrutiva na empresa
Uma cultura de erro destrutiva é má para qualquer empresa

Uma cultura de erro destrutiva é uma cultura em que os erros são vistos como algo negativo e os trabalhadores são penalizados quando cometem erros. Uma cultura de erro destrutiva impede os trabalhadores e os gestores de correrem riscos e de assumirem a responsabilidade pelas decisões. Em muitas empresas, a cultura do erro é sinónimo de uma cultura do medo que paralisa e impede o pensamento lateral e a experimentação de coisas novas. Algumas características de uma cultura de erro destrutiva são

  • Os erros são vistos como uma falha e os empregados têm vergonha dos seus erros
  • Os trabalhadores são penalizados ou culpados pelos erros cometidos.
  • Os erros são encobertos ou ocultados
  • Não há liberdade de sanções nem processos que permitam aprender com os erros.

Uma cultura de erro destrutiva pode levar a que os empregados tenham medo de correr riscos e de promover a inovação. As empresas devem estabelecer uma cultura de erro construtiva para incentivar os empregados a aprender com os erros e promover a inovação.

A cultura do erro destrutivo explicada através de um exemplo

Imagine que está numa bicicleta ferrugenta sem travões, a descer inexoravelmente uma colina. É mais ou menos assim que se sente uma cultura de erro destrutiva. Aqui, os erros não são vistos como um trampolim para o sucesso, mas sim como enormes pedras de tropeço que é melhor não tropeçar.

Numa cultura de erro destrutiva, a primeira palavra que é frequentemente utilizada quando se comete um erro é “culpa”. Procuramos alguém para culpar e apontamos o dedo à pessoa que encontrámos. É como uma enorme festa de culpas em que ninguém gosta de ser convidado. Esta situação cria um ambiente desconfortável em que as pessoas têm medo de expressar ideias ou de correr riscos por receio de que um erro se transforme num desastre pessoal.

Numa tal cultura, os erros ficam muitas vezes escondidos. Em vez de os analisar e aprender com eles, são varridos para debaixo do tapete. As pessoas agem como se nunca tivessem existido. Isto pode proporcionar alguma calma a curto prazo, mas a longo prazo não melhora a organização nem a equipa. Pelo contrário, estão a ser perdidas oportunidades valiosas de desenvolvimento.

Uma cultura de erro destrutiva tem igualmente um impacto na confiança no seio da equipa ou da organização. Em vez de apoio mútuo e abertura, prevalece a desconfiança. Pensa: “Se eu cometer um erro, serei castigado ou exposto”. Isto leva a uma cultura de “esconder” que corta a inovação e a criatividade pela raiz.

Como se pode estabelecer uma cultura de erro positiva na empresa?

Uma cultura de erro positiva pode ser estabelecida numa empresa de várias formas. Eis alguns passos e medidas que as empresas podem adotar para promover uma cultura de erro positiva:

  1. Criar uma base de confiança: Os trabalhadores devem ter confiança na empresa para admitir erros e não os encobrir. Os gestores devem admitir os erros quando estes acontecem, de modo a criar confiança. É benéfico concentrar-se mais nas oportunidades do que nas consequências negativas.
  2. Criar uma nova forma de lidar com os erros: Lembre-se que cometer e admitir erros é uma parte natural do processo de aprendizagem. É importante que os trabalhadores compreendam que os erros podem acontecer e que não serão penalizados por isso. Em vez disso, devem ser encorajados a aprender com os seus erros e a desenvolver-se mais.
  3. Estabelecer processos claros: Para que uma cultura de erro positiva funcione, devem ser estabelecidos processos claros sobre a forma de aprender o mais possível com os erros. Documente a forma como lida com os erros e estabeleça processos que garantam que o que aprendeu é efetivamente incorporado no funcionamento diário da empresa.
  4. Gestão ativa: Uma cultura de erro positiva exige uma gestão ativa que apoie e promova o processo. A direção deve incentivar os trabalhadores a partilharem os seus erros e ajudá-los a aprender com eles. É igualmente importante que a direção ouça os trabalhadores e leve a sério as suas preocupações e sugestões.
  5. Formação e workshops: A formação e os workshops podem ajudar a estabelecer uma cultura de erro positiva. Os trabalhadores podem aprender a reconhecer e a analisar os seus erros para aprenderem com eles e se desenvolverem mais. A formação pode também ajudar a sensibilizar para a importância de uma cultura de erro positiva.

Uma cultura de erro positiva não pode ser estabelecida de um dia para o outro, mas requer tempo e empenho de todos os envolvidos. No entanto, é um investimento no futuro da empresa, uma vez que pode ajudar a promover a inovação e a criatividade e a reforçar a confiança dos trabalhadores.

Como é que os gestores podem dar feedback para promover uma cultura de erro positiva?

Os gestores podem dar feedback para promover uma cultura de erro positiva, tomando as seguintes medidas e acções:

  1. Dar feedback regularmente: Os gestores devem dar aos seus empregados feedback regular sobre o que correu bem e onde foram cometidos erros. Isto obriga-nos a refletir conscientemente sobre a nossa abordagem e os nossos resultados e promove uma cultura aberta ao erro.
  2. Encarar o feedback como uma oportunidade de aprendizagem: Os gestores devem encarar o feedback como uma oportunidade de aprendizagem e apoiar os seus empregados na aprendizagem com os erros. Deve também garantir que os empregados recebem os recursos e a formação necessários para aprenderem com os seus erros.
  3. Estabelecer uma cultura de feedback: Uma cultura de feedback é a base de um processo de aprendizagem sustentável. Os gestores devem introduzir um feedback de 360 graus e considerar a comunicação – sem atribuir culpas – como um imperativo importante.
  4. Utilizar o feedback como um modelo a seguir: Os gestores devem utilizar o feedback como um exemplo positivo, comunicando abertamente os seus próprios erros e mostrando como podem aprender com eles. Ao partilharem abertamente os seus próprios erros, podem promover uma cultura de erro aberta.
  5. Incentivar a comunicação aberta: Os gestores devem encorajar uma comunicação aberta em que os empregados possam dar feedback abertamente sem terem de recear consequências negativas. Uma comunicação aberta pode ajudar a garantir que o feedback é dado numa fase inicial e que os problemas podem ser resolvidos rapidamente.

Ao darem feedback e promoverem uma cultura de feedback aberto, os gestores podem ajudar os empregados a aprender com os erros e a desenvolverem-se mais. Uma cultura de feedback positivo pode também ajudar a promover a inovação e a criatividade na empresa.

Estratégias eficazes para uma cultura de erro aberta

O estabelecimento de uma cultura de erro aberta requer um processo a longo prazo que deve ser compreendido e continuamente praticado por todos os envolvidos até se tornar uma questão natural. Um início precoce na equipa é de grande importância. Uma cultura de erro aberta não pode ser alcançada apenas através de um seminário. Esta mudança de paradigma deve ocorrer continuamente a todos os níveis. Haverá, sem dúvida, mais erros no decurso do processo. Depois, cabe-lhe a si, enquanto gestor, introduzir melhorias e continuar a atuar como modelo e motivadorpara os seus empregados.

Analisar a sua cultura de erros atual
Descubra como os erros são tratados na sua empresa e onde ocorrem com mais frequência. Só conhecendo a situação atual é que se podem introduzir mudanças para melhor.

Ser um modelo a seguir e criar uma atmosfera de confiança
Uma cultura de erro positiva só funciona se o próprio utilizador admitir os erros, se os abordar abertamente e se a sua equipa puder apontá-los sem receio.

Não procurem bodes expiatórios
Numa cultura de erro aberta, não importa QUEM cometeu o erro. Concentrar-se no erro em si, em vez de procurar culpados e de os punir. A sua tarefa consiste em identificar a avaria, descobrir a sua causa e encontrar uma solução.

Reagir rapidamente aos erros
Se ocorrer um erro, não hesite em adiar a resolução do problema, mas tente encontrar uma solução o mais rapidamente possível.

Aceitar outros erros como parte do processo
É possível que a primeira solução para um erro não seja imediatamente a correcta. Aceitar que podem ocorrer mais erros durante a resolução do problema. Um controlo excessivo não é adequado. Pode haver alguns erros até se encontrar a solução óptima, e é perfeitamente admissível que nos concentremos neles.

Manter a distância emocional
Independentemente de quão irritante seja o erro que cometeu, tente pôr as suas emoções de lado e manter-se objetivo. Não se envergonhe dos seus próprios erros e não castigue os seus empregados com sanções, ignorância ou mau humor. Isso não ajuda ninguém.

Desenvolver a sua equipa
O desenvolvimento de uma cultura de erro aberta não é um esforço individual, mas sim um esforço de equipa. Envolva todos os seus empregados no processo e peça conselhos e ajuda, se necessário.

Estas dicas devem servir de guia para o ajudar a promover uma cultura de erros transparente na sua empresa. Se implementar estas estratégias e trabalhar nelas continuamente, pode criar um ambiente em que os erros são vistos como oportunidades de aprendizagem e a inovação e o crescimento pessoal são encorajados.

Quais são as consequências de uma cultura de erro positiva?

Uma cultura de erro positiva tem muitas vantagens para as empresas e para os trabalhadores. Alguns dos efeitos de uma cultura de erro positiva são enumerados a seguir:

  • Promover a inovação e a criatividade: Uma cultura de erro positiva incentiva os trabalhadores a correr riscos e a experimentar novas ideias. Os trabalhadores podem aprender com os erros e promover a inovação.
  • Reforça a confiança dos trabalhadores: Uma cultura de erro aberta, em que os trabalhadores podem comunicar abertamente os erros sem receio de consequências negativas, pode reforçar a confiança dos trabalhadores na empresa e nos seus gestores.
  • Melhora a colaboração: Uma cultura de erro positiva promove a comunicação aberta e a colaboração entre os funcionários. Os funcionários podem trabalhar em conjunto para encontrar soluções e aprender uns com os outros.
  • Resolução mais rápida de problemas: Uma cultura de erro aberta permite que os problemas sejam reconhecidos e resolvidos mais rapidamente. Os empregados podem aprender com os erros e encontrar soluções mais rapidamente.
  • Aumenta a motivação e a satisfação dos trabalhadores: uma cultura de erros positiva pode ajudar os trabalhadores a sentirem-se motivados e satisfeitos, uma vez que se sentem seguros para comunicar abertamente os seus erros e aprender com eles.
  • Reduz os custos: Uma cultura de erro positiva pode ajudar a reduzir os custos, uma vez que os problemas podem ser reconhecidos e rectificados mais rapidamente.

Quais são as consequências de uma cultura de erro negativa?

Uma cultura de erro negativa pode ter consequências graves para as empresas e para os trabalhadores. Algumas das consequências de uma cultura de erro negativa são enumeradas a seguir:

  • Perda de respeito e reconhecimento: Uma cultura de erro negativa pode levar os trabalhadores a perderem o respeito e o reconhecimento dos seus superiores quando cometem erros.
  • Medo de cometer erros: uma cultura de erros negativa pode levar os empregados a terem medo de correr riscos e de promover a inovação. Os trabalhadores podem sentir-se inseguros e não se atrever a partilhar as suas ideias.
  • Stress e pressão para o desempenho: Uma cultura de erro negativa pode levar a um aumento do stress e da pressão para o desempenho, uma vez que os funcionários receiam ser penalizados por erros.
  • Menor motivação e satisfação: Uma cultura de erro negativa pode levar a que os trabalhadores se sintam desmotivados e insatisfeitos, uma vez que não se sentem confiantes para comunicar abertamente os seus erros e aprender com eles.
  • Perda de empregados: Uma cultura de erro negativa pode levar os empregados a abandonar a empresa por não se sentirem valorizados e apoiados.

Cultura de erros utilizando o exemplo do Google

Cultura de erro no Google
Cultura de erro no Google

A Google é uma empresa frequentemente citada como um exemplo de uma cultura de erro bem sucedida. A Google criou uma cultura em que admitir erros e aprender com eles é fortemente encorajado.

Um exemplo notável desta situação é a criação do Google Maps. Quando a Google começou a desenvolver a sua aplicação de mapas em 2005, apercebeu-se de que algumas das informações não eram exactas. Em vez de esconder ou negar este facto, a Google optou pela transparência. Acrescentaram uma ligação que permite aos utilizadores comunicar erros nos mapas.

O que é que aconteceu a seguir? Milhares de utilizadores comunicaram erros, imprecisões e informações em falta. Em vez de ignorar este feedback, a Google enviou uma equipa de funcionários para corrigir os problemas comunicados. Este feedback não só ajudou a melhorar o Google Maps, como também levou ao desenvolvimento de funções inovadoras.

O importante é que a Google tenha aprendido com os seus erros iniciais na criação de mapas. Reconheceram que os utilizadores têm conhecimentos valiosos sobre o aspeto do mundo e que podem utilizá-los para melhorar os seus produtos.

Para além disso, a Google criou uma cultura em que os funcionários são encorajados a assumir riscos criativos. A empresa oferece aos seus empregados tempo para projectos pessoais, conhecido como “20 por cento de tempo”, no qual podem trabalhar em ideias que não estão diretamente relacionadas com as suas tarefas principais. Produtos como o Gmail surgiram desses projectos de 20 por cento.

Esta cultura de erro positiva na Google não só fez da empresa um líder em inovação, mas também um local onde os funcionários se sentem seguros para experimentar ideias e aprender com os erros, de modo a criar continuamente melhores produtos e serviços.

Conclusão

Uma cultura de erro aberta é crucial para o sucesso e o crescimento de uma empresa. Permite uma abordagem construtiva dos erros, promove a aprendizagem com os erros e cria um ambiente de trabalho motivador em que os trabalhadores não têm de ter medo de cometer erros. Os erros não são um sinal de fracasso ou de falta de inteligência, mas um companheiro natural no caminho do progresso. Ao abordar abertamente os erros e utilizá-los como uma oportunidade de aprendizagem, é possível obter informações valiosas. Enquanto gestor, é importante dar o exemplo de uma cultura de erro aberta e criar um ambiente de trabalho harmonioso em que a aprendizagem com os erros seja incentivada. Esta cultura permite não só lidar com os erros, mas também crescer em conjunto como uma equipa e ser bem sucedido.

Livros para gestores e para aqueles que querem tornar-se gestores

Tu existes mesmo! Livros que melhoram as suas capacidades de liderança e delegação. Ao longo do meu tempo como fundador e gestor, li muitos livros. Livros de liderança que me ajudaram nos primeiros passos e outros livros que me ajudaram numa fase avançada. Eis os meus 3 principais livros sobre liderança com os quais ainda hoje aprendo muito.

O chefe que nunca esquecerei

Um livro sobre como conquistar a lealdade e o respeito dos seus empregados.

Os bons cozinheiros comem por último

O livro que todos os líderes precisam de conhecer. Um dos melhores livros do mundo sobre liderança.

Liderança moderna

O manual prático para gestores – Como tornar-se um gestor autêntico e carismático, inspirar colaboradores, liderar equipas e obter resultados.

FAQ

O que é uma cultura do erro?

Uma cultura de erro descreve a forma como uma empresa ou organização lida com os erros. Uma cultura de erro aberta significa que os erros são vistos como uma oportunidade de melhoria e que os funcionários são incentivados a comunicar os erros e a aprender com eles.

Porque é que uma cultura de erro positiva é importante?

Uma cultura de erro positiva pode ajudar os funcionários a sentirem-se mais confiantes para comunicar erros e mais motivados para aprender com os erros e fazer melhorias. Uma cultura de erro aberta também pode ajudar a garantir que os problemas sejam reconhecidos e resolvidos mais rapidamente.

Como é que se pode criar uma cultura de erro positiva?

Existem várias formas de criar uma cultura de erro positiva. Algumas dicas são:
– Separar o erro da pessoa que o cometeu.
– Incentivar os empregados a comunicar os erros e a aprender com eles.
– Encare os erros como uma oportunidade para melhorar.
– Confie nos seus empregados e dê-lhes a liberdade de tomar decisões.
– Seja você próprio um modelo a seguir e mostre que também aprende com os seus erros.

Hauptpartner:

eBook des Monats

No Results Found

The page you requested could not be found. Try refining your search, or use the navigation above to locate the post.

Anzeige

ChatGPT in HR – Human Resource

HR-Whitepaper, eBooks und Studien

No Results Found

The page you requested could not be found. Try refining your search, or use the navigation above to locate the post.

Das könnte dir auch gefallen

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Das erhältst du vom HRtalk Newsletter!

• Wertvolles Wissen aus erster Hand.

• Hochkarätige Artikel für deinen Erfolg.

• Regelmäßige Geschenke und Gutscheine.

• Teilnahme an spannenden Gewinnspielen.

• Teil einer dynamischen Community von HR-Experten sein.

Du hast dich erfolgreich eingetragen